História dos Esportes na Polícia Civil - Judô e Futebol

Imprimir
Categoria: Esportes
Data de publicação Escrito por Faria

 

JUDO E DEFESA SOCIAL



          A Polícia Civil de Minas Gerais sempre teve tradição na preparação física de seus policiais através de excelentes professores na arte de transmitir conhecimentos de defesa pessoal e judo, durante os cursos de preparação, aperfeiçoamento e especialização. O www.cyberpolicia.com.br trouxe para este espaço, pesquisas que remontam à década de 30, quando o mestre Carlos Grace, precursor da tradicional Família Grace era instrutor da academia de polícia. E com o tempo, muitos outros grandes mestres passaram pela academia, como Abreu, Expedito, o "Índio", Atraízo e muitos outros cujos nomes não se encontram em nossos registros.

Nesta primeira seleção de fotos, destacamos em 1932, Tieris (primeiro assentado), José Thiago (o segundo assentado), pai do delegado aposentado Itamar Thiago, ao lado de Carlos Grace. Na segunda foto, de 1939, investigadores fazendo treinamento com o mesmo mestre, de camiseta branca. Os demais não foram identificados.

 

1958: Investigadores "Mão de Onça”, Magalhães, Albino "Perereca", Alcides, Penido, Rogério, Bolívar, Instrutor Abreu. 1959. "Índio" e equipe de policiais no ginásio do Paissandú para treinamento de Judô.

 

RECORDAR É VIVER  

  

 

"Na década de 60, quando surgiram os primeiros movimentos da Jovem Guarda, com Roberto Carlos no comando de seu calhambeque, Belo Horizonte era pura nostalgia, e quem viveu nesta época e ainda vive para relembrar aqueles velhos tempos, sabe perfeitamente do que estamos falando. Era uma verdadeira odisseia. Quem gostava de um bom Kaol ia ao Café Bahia, ao lado do Cine Metrópole, ou Café Palhares, no Café Pampulha, no Polo Norte, Mocó da Iaiá e tantos outros locais, que não faltava espaço para uma boa diversão, comida farta e boa. Era tempo do famoso Ginásio Payssandu na Feira de Amostras e ali eram realizados os mais hilariantes espetáculos de luta livre. Era uma "marmelada que só vendo", os sopapos eram de mentirinha. Ali lutaram Ted Boy Marino, um loiro mau prá caramba, o nosso Frederico que foi guarda e chegou até a ser delegado, o Expedito Ferreira, o Índio, entre outros. Mas, hoje vamos voltar ao tempo e recordar também. Viver um pouco da alegria que estes nossos atletas levaram em um ringue improvisado ao ar livre pelo então Padre Antonio Gonçalves, muito jovem naquela ocasião e já comandava a paróquia dos Santos Anjos, no Bairro Caiçara. Para dar um espetáculo aos seus paroquianos, Padre Antonio convidou nada menos que os atletas da Polícia Civil, ou melhor, dizendo, da antiga Guarda Civil que lutavam no Payssandu. Na foto (primeira abaixo, à esquerda) conseguimos identificar Atraizo Gonçalves-(também na foto à esquerda) (que por sinal tem uma passagem muito interessante. Ele era o lutador mascarado que muito poucas sabiam sua identidade. Por ser um exímio lutador, ganhava todas suas lutas e sempre saía como entrava no ringue. Com a máscara que cobria toda a cabeça e envolvia o pescoço. Só ficavam dois orifícios para os olhos. Até que um dia, Ted Boy Marino, venceu o embate com ele e arrancou sua máscara. Como diziam os mais afoitos: "A casa caiu". Foi um sucesso). O segundo é o escurinho. O terceiro, o Trajano, mais conhecido por "Periquito Australiano". Na sequencia, Valdomiro, o "Tarzan". O nosso querido Padre Antonio Gonçalves, que foi capelão da Polícia Civil. E nos dias atuais é um dos mais influentes diretores da Rádio América, onde tem programa diário, assim como na televisão em suas missas dominicais. Adelmo Silva, conhecido como "Seu Neném". Walter, treinador dos atletas e o "Bengala Branca". Agachados: Jacovine, Sebastião Criminal, falecido no ano passado e por último nosso grande amigo Gilberto Macário que também foi guarda civil e se aposentou como delegado de polícia, e, diga-se de passagem, um excelente companheiro. Isto é o resgate de nossa história que jamais se apagará."Jornal Segurança 152/2011

 Nestas imagens, estão inseridos Delegados que participavam da Diretoria da Academia nos anos de 1974 e 1975: Cid Nelson Safe Silveira, Rômulo Coutinho e Aloysio, além do professor Travassos e os aspirantes ao curso de delegados. Registramos os policiais: Bechara, Monteiro, Ariovaldo, Diva, Dirceu, Djalma Ferraz, Victor Hugo, Drumond, Almir, Roque Schultz e outros não identificados. 

 


Nas duas fotos abaixo: Geraldo Generoso, Domingão, Eduardo Ângelo, o "Marreco", Manoel Jacinto e Zé Maria Pinto. Faltam identificações.

 

              Em 1976, a foto abaixo registra detetives da Delegacia de Furtos e Roubos sendo treinados por Expedito, o Índio. Identificamos: "Biscoito Murcho", Agostinho "Bobagem", Pinheiro, João Júlio Papa, Elso "Português", Orlando "Cabeça D'Alho", Ronaldo Faria, Falcão, "Morcego", Dauro Gagliardi, Marcos Peres, Freitas "Cabeça de Rolinha", "General" e Sales "Pé Queimado". As cruzes na foto era uma antiga cultura dos policiais da Furtos para marcar aqueles que já haviam falecido.




          Abaixo são registrados os alunos aspirantes ao curso de Detetives de 1975/1976 com seu experiente instrutor, Expedito Ferreira, o Índio. Citamos alguns nomes como Zé Neves da Paz, Olírio, Camargo, Amorim, Pimenta, Gaspar, Jefferson, Laci, Faria, Pedra, Zé Maria, Lenoir, Ney, Hélio, dentre tantos outros. Foi o último curso de formação ministrado na antiga academia, na Rua 21 de Abril, no centro da capital mineira.  

    


         
          Em 1977, policiais do "Kilo" faziam seus treinamentos de Judo e Defesa Pessoal na academia de polícia parase manterem em condições de enfrentamento ao banditismo. Da esquerda para direita os policiais: Nogueira "Boi Vermelho", Balbino, Zé Maria "Cachimbinho", Osmar "Sapo", "Xamprisco", "BG", Juarez "Capacete", Geraldo Flaviano "Nega Maluca", delegado Braúna, Daniel "Tchen", Instrutor Expedito "Índio", todos de pé. Ajoelhados: Wilson "Cabo de Vassoura", "Caxangá", Ricardo Minelli e Jair.

 

          Paulo Peposo Curi, policial civil filho de Hitler Fouad Curi. Seu pai dignificou o ensino na Academia de Polícia Civil de Minas Gerais, a ACADEPOL, onde deixou marcado seu nome como professor e a forma cortês e educada de transmitir o conhecimento aos seus alunos. O filho, Paulo Curi, começou no judô ainda aos quatro anos, e Campeão Mundial de Jiu-jtitsu nas categorias "Master e Senior". Sua inteligência não está apenas nos golpes certeiros das lutas que participa, mas também nos jogos de xadrez onde foi campeão com inúmeras medalhas de reconhecimento. É um policial que orgulha a Polícia Civil pelos seus feitos e por isso ganha essa distinção em nosso espaço histórico.


         Atraízo                                                    Hitler, ao lado de Telê Santana                                                                                                 Paulo Peposo, abaixo, à esquerda

Equipes de judô na Acadepol. Dentre os policiais identificamos: Fernando, Wantuil, Ernani Desmoulins, Dário Costa...

 

Três gerações de judocas policiais: Atraizo, Hitler e Peposo.          Hitler e Ediraldo Brandão. O judo da PC e o social.                                      Hitler e seu filho Paulo Peposo. 

                       Ramon Sandoli e Paulo Peposo.                                                                                                                Turma de Judô de Hitler

 

 

                         FUTEBOL

 

          O futebol sempre marcou os policiais civis de Minas Gerais, desde os primórdios da Guarda Civil, até os dias atuais. Foram vários os torneios e campeonatos envolvendo a alegria por representarem suas instituições ou unidades policiais. Abaixo relacionamos alguns times que marcaram presença nesses eventos.

 
   


                                                                              

     As imagens acima registradas representam uma fase de ouro do futebol da Polícia Civil através da formação de grandes times de futebol formados pela Guarda Civil e os investigadores do Corpo de Segurança nos anos 50 e 60.

  • 1959: Time da Divisão de Rádio Patrulha com seus craques: aqui identificamos Romeu Rocha e Pio Nono, no final da década de 50 e início de 60. Ganharam vários campeonatos.
  •  1966. Time da Guarda Civil de Poços de Caldas. 1º Geraldo, 3º Agenor, 4º Geraldão, 5º Custódio e 6º João de Castro. Toninho, 1º agachado. Os demais ainda não foram identificados.
  • 1969. Times do antigo DET, campeão em 1965 e 1968: com Pascoal, Bananeira, Brant, Virgílio, Manoel, Zé Maria, Lisboa. Agachados: Roberto Pimpão, Sô Dico, Moreira, Wilson, Efigeninho e Luiz Paciência. 
  • 1968: Alberto Bolacha, Tingué, Lacerda, Humberto, Vicente Gia, Cléber, Manoel. Agachados: Assis, Sô Dico, Zé Flávio e Pelau.  


   
   

         
          Nos anos 70 e 80 é marcado pelo futebol da Polícia Civil, que ganha maior concorrência com os campeonatos e a formação de várias equipes das diversas unidades policiais da capital e Região Metropolitana de Belo Horizonte. São criados o Torneio Segurança, Torneio Integração e outros jogos amistosos e peladas em um clima de disputa, festa e companheirismo.

  • 1977. Time da Polícia Civil. Márcio "Boneca", goleiro, Hélio Pedro Neves, Ivanir, Jonatas, Manoel, Cunha, Fialho, Marquinho "Farol de Kombi", Eduardo e outros ainda não identificados.
  • 1979 e 1980. As cinco fotos acima registram os policiais da Furtos e Roubos, o "KILO", em diversas participações esportivas. Identificamos: Ponce de Leon, Xexéu, Melgaço, Pascoal Vicente "Gia", Geraldinho, o "Goleiro Caipira", Edson Pedra, Sô Dico, Faria, Pelau, Paulinho, Carlos Bacelette, Nivalmendes, Trasíbulo e Pedro Neves. Na terceira foto: Rogerinho, Sô Dico, Antonio Alves, Juarez "Capacete" e Faria em uma pelada. Em seguida: Mafaldo, Juarez, Falcão, Pascoal, Alécio, Vicente Gia, Hélio, Nivalmendes, Sô Dico, Geraldo Seguêta, Sueli, a "Pé na Lata", Faria, Ponce, Chiquinho e Antonio Alves nas peladas do Geraldão. No sítio do Hélio "Mamadeira": Sales, Fialho, Camargo, Braúna, Faria, Feliciano, Zebú e Osmar "Sapo". Na última, à direita: Bacelette, Pelau, Sô Dico, Paulete, Gia, Faria, Pedro Neves, Darci, Pascoal, Melgaço, Placidônio, Ponce, Trasíbulo, Paulinho e Xexéu.

A seção de imagens postadas abaixo, registram:

  • Time da Rádio Patrulha de 1960.
  • Times de pelada de 79 e 80: do Setor 2 da Furtos e Roubos de 1979, com, Claubert (Zé da Lenha), Faria (Boy), Geraldo (Segueta), João (Doido), Vicente (Gia Preta), Nivalmendes (Ni) e Mafaldo.
  • Troféu do campeonato de 1980, conquistado pelo KILO, com Pascoal, Sales, Nivalmendes, Faria e Melgaço.
  • Time do Setor 3, com Jair, BG, Juarez, Pinheirinho e Gama.
  • Na outra foto em seguida, mesmo time, acrescentando o detetive Agostinho.
  • Time de pelada do Setor 1: Maurílio, Osmar, Zé Maria Zebú, Zé Maria "Cachimbinho" e Zé Flávio.
  • Time da Furtos de 1979.
  • Time da Seccional Norte de 1979.
  • Detetive/Juiz "Tingué", ao lado dos árbitros.  1979.
  • Pelada no sítio do detetive Hélio Mamadeira com Braúna, Roberto, Sales, Osmar e Gama. Time da Dutra Ladeira
  • Time da Furto de Veículos de 1979.

 

Abaixo:

  • Time do KILO, campeão de 1980.
  • Pelada no sítio do Geraldão, 1981. Time do KILO de 1981.
  • Time da ACADEPOL de 1983.
  • 1982, campo do Geraldão.
  • 1990. Time de delegados na ACADEPOL.
  • 1991. Torneio Integração com seu grande baluarte, Nilton Ribeiro de Carvalho. 
  • 1984 e 1986, seleções da Polícia Civil.
  • 1995-Time da ACADEPOL.
  • 1993 e 1990-Time do DEOESP.
  • 1991-Abertura Torneio Integração.
  • 1990-Times do DEOESP e Furto de Veículos.
  • 1991-Torneio Integração. Delegados Naback, Reis, e Vicente Lacerda.
     

  

                                                                          As Comemorações e Troféus dos Torneios da Polícia 
 
    

          Abaixo registramos fotos do acervo digital do Cyber Policia referente aos torneios Segurança e Integração, concernente as comemorações e entregas dos troféus aos vencedores. Ao final dos torneios as rivalidades cessavam e as festas eram motivo para a harmonia e alegria entre os policiais. Há que se lembrar de grandes clássicos que ocorreram entre as equipes do "KILO" contra Contagem e Furto de Veículos, velhos e grandes rivais nas disputas dos campeonatos do Torneio Segurança. As primeiras fotos são dos anos 1979, 1980 e 1981. Estadeu, presidente da Associação dos Escrivães foi um grande incentivador dos esportes e lazer na Polícia Civil e comandava a festa no final do Torneio Segurança.

          Aqui registramos: João Feliciano, Mota e outros policiais na entrega aos vencedores. Estadeu e Raimundinho, da Furto de Veículos. Geraldinho, goleiro do "KILO", Juscelino e outros policiais. A grande festa na Associação dos Escrivães. Samuel "Precheca" na entrega dos troféus. Furtos e Roubos, a grande campeã do Torneio Segurança. Faria, Nivalmendes, Pascoal, Sales e Melgaço com o troféu. Policiais do KILO 2º DP de contagem comemoram o 1º e 2º lugar. João Feliciano, Estadeu e Jaci de Abreu entregam troféus para Cléber de Abreu, Alfredo, Raimundinho, Melgaço e outros policiais.

   
   
 
   
 
   
 

 

  • Em 1981, Antonio Alves entrega o troféu ao policial Alfredo, representando o 2º DP/Seccional de Contagem, campeão daquele ano.
  • Brás homenageia Raimundinho, técnico da Furto de Veículos no mesmo ano.
  • Zazá entrega troféu a Osvaldo Melgaço, da Furtos e Roubos, em 1987. 
  • Juscelino, 1979, Júlio Proença, 1981 e Cerezo também recebem suas homenagens.
  • Alfredo carrega os troféus recebidos.
  • Em 1991, Ellison, Lellis e outros policiais da Seleção da PC, mostram com orgulho o troféu de campeão.

  

          Para o Torneio Integração, na década de 90, a Polícia Civil fez uma seleção de seus melhores atletas para a competição. Tinha como participantes, a Polícia Civil/Militar/Bombeiros/Exército/Polícia Federal/Rodoviária Federal/Aeronáutica.

           

    EQUIPES DA DELEGACIA DE HOMICÍDIOS

Década de 2000

 

         
          Não poderíamos deixar de externar neste espaço, as nossas homenagens aos delegados Antonio Alves, o "Toninho” (Furto de Veículos e KILO), Nilton Ribeiro (DI), Jaci de Abreu (KILO), Campelo (DOPS) Estadeu (Associação escrivães) Raimundo (Delegacia de Furto de Veículos), Juscelino (Contagem), Edson Pedra (KILO), Cerezo (DI), Lellis (DI) e muitos outros, pelo comprometimento com a participação da Polícia Civil nos diversos torneios Segurança e Integração. Eles tinham verdadeira paixão pelo esporte e pelas saudáveis disputas que ocorriam nos campos do Inconfidência, Pitangui, Acadepol, Bairro São Paulo, Campo do Cruzeiro, da Aeronáutica, PM, dentre outros. Infelizmente outros nomes deveriam ser lembrados neste momento, mas nossa história tem poucos registros sobre seus desportistas.

 

 

 

2011 Futebol. © 2012 - Cyberpolicia: História da Polícia Operacional Investigativa
Powered by Joomla 1.7 Templates, read web hosting reviews