Biografia Faria 9 - Poços de Caldas-Aposentadoria

Imprimir
Categoria: Biografia

 

BIOGRAFIA FARIA PARTE IX

                                      

                                             POÇOS DE CALDAS. DELEGADO REGIONAL E CHEFE DO 18º DPC

 

 

       Conforme registrado na Parte 8 da Biografia do policial Faria, rememoramos que no final de dezembro de 2008, o Chefe do DEPATRI, fez uma festa de despedida na região da Pampulha, onde recebeu diversos amigos e policiais, dentre eles o Superintendente Geral Gustavo Botelho que prestigiou o evento, junto do promotor Rodrigo Fonte Boa. Faria já conversara com sua família sobre a possibilidade de se transferir para uma Delegacia Regional no interior do estado e terminar sua carreira dentro de um projeto prévio, que ocorreria em dois anos. A intenção era buscar um local com melhor qualidade de vida, independente de estar, profissionalmente, "entregando" o DEPATRI, o mais estruturado Departamento policial e de reconhecimento nacional. Faria ao conversar com o Superintendente Geral, Gustavo Botelho falou do interesse em assumir a regional de Poços de Caldas, deixando-o surpreso com aquele posicionamento. Gustavo indagou se realmente deixaria o DEPATRI para assumir uma Delegacia Regional e diante da resposta positiva, levou a situação ao Chefe de Polícia Marco Antonio Monteiro, que, a princípio relutou em retirar Faria do Departamento. Só depois de muita conversa é que a transferência foi aceita, com a promessa de Faria elaborar uma carta aberta, explicando as razões da transferência e de sua decisão pessoal. O que foi feito.

 

A DELEGACIA REGIONAL DE POÇOS DE CALDAS 

          Ao assumir a 1ª DRPC de Poços de Caldas, Faria trazia para uma unidade policial do interior mineiro, toda sua gama de experiencia e de sucesso operacional da capital mineira, documentada nos arquivos predecessores de sua biografia. Buscou inserir uma nova metodologia para as características da região, que tinha como objetivo, a operacionalização das atividades policiais, aproveitando o grande acervo de excelentes profissionais à sua disposição. Paralelamente, buscou estreitar o relacionamento com outras instituições do sistema de segurança e melhorar o resultado do conjunto de ações, possibilitando estatísticas satisfatórias a serem apresentadas à sociedade. A vinda do inspetor Marcos "Lobisomem" trouxe maior interação entre os investigadores e transparência nas atividades policiais desenvolvidas. Criou a agencia de inteligencia policial, com os policiais: Perito Cabral e os investigadores Márcio Glei, Jener e Zé Marcos, dando uma nova dinâmica de apoio às investigações de maior complexidade.

 


           Reformulou a ideia de inteligencia policial, reestruturando a delegacia de repressão a tóxicos e entorpecentes, sob o comando do delegado Tommaso. As respostas viriam mais uma vez, de forma célere. Faria também elaborou o projeto para a AIP - Agencia de Inteligência Policial. Criada oficialmente em 2010, foi a primeira agencia de inteligência da Polícia Civil no interior do estado. O delegado Faria estruturou a agencia com policiais selecionados e especializados na área de inteligência que dariam apoio a todas as delegacias da área do 18º Departamento.

 

PROJETOS E AÇÕES

 

PROJETO QUEM

          Dentre seus projetos de mudanças metodológicas, Faria definiu como prioridade a repressão qualificada ao tráfico de drogas, buscando identificar as lideranças criminosas da região através do Projeto “QUEM”. O Projeto "QUEM" também foi ideia do delegado Faria, quando esteve à frente do DI e DEOESP, como meio de buscar os principais e mais perigosos criminosos das áreas críticas de criminalidade violenta. Recentemente a Secretaria de Defesa Social, fez uma adaptação do projeto, dando a nomenclatura de "Procurados". Quando da Operação "Hidrante, (seção DEOESP/Gameleira) o projeto "QUEM" foi encaminhado para a SEDS. Os Projetos Mapas Operacionais e Linha Direta, criados por Faria também foram agregados à inteligência para futura incorporação às atividades do setor.

 

PROJETO GMI

         Faria trouxe da capital seu projeto denominado GMI – Grupo de Monitoramento Integrado, em parceria com a PUC/ Poços de Caldas. O projeto consiste no monitoramento de todas as ações criminosas em Poços de Caldas a partir das informações que serão fornecidas pelos integrantes do GMI: Polícia Civil, Polícia Militar, Guarda Municipal, Polícia Rodoviária Federal e SUAPI. Com possibilidades de ingresso de outros integrantes, como as receitas estadual, federal, PROCON, etc.

           Inauguração da Delegacia da Mulher de Poços de Caldas, projeto iniciado pelo seu antecessor Bráulio Stivanin. Implantação das Áreas Integradas em Poços de Caldas que possibilitou dividir o espaço geográfico da cidade de forma a permitir um melhor planejamento integrado entre as instituições Polícia Civil e Polícia Militar.

 

         Planejou e levou a termo inúmeras operações policiais de grande impacto para coibir diversas modalidades criminosas em nossa região. A partir das novas ações policiais implantadas, nos anos de 2009 e 2010, a DRPC de Poços de Caldas atingiu índices excelentes no combate ao tráfico de drogas, com centenas de prisões e 40 flagrantes realizados pela equipe de Tóxicos, conseguindo o primeiro lugar em Minas Gerais, como a melhor repressão ao tráfico no estado.

 

         Junto com seus parceiros policiais, implantou ações prioritárias e emergenciais que consistem em dar respostas rápidas no tocante a crimes que fogem à rotina de Poços de Caldas, como roubos, homicídios, estupros e outros. Nos anos de 2009 e 2010 a Polícia Civil de Poços de Caldas conseguiu 100% de apuração de homicídios e prisões dos autores. As apurações de roubos giraram em torno de 80%. Essas ações e os resultados era a forma de controle do aumento nos índices de criminalidade na região.

SISTEMA INDG EM POÇOS DE CALDAS

O INDG,Instituto de Desenvolvimento Gerencial, atualmente, Falconi Consultores de Resultados é uma empresa que tem como foco, a melhoria da gestão na busca de melhores resultados. Conforme registramos na Biografia Parte 8/DI, foi através de pleito do delegado Faria junto ao Chefe de Polícia Otto Teixeira, que o projeto de desenvolvimento gerencial na área policial foi implantado, transformando o Departamento de Investigações em piloto. E como sempre acreditou na metodologia INDG, Faria buscou assimilar a experiência de seu tempo de chefe daquele Departamento para repassar aos procedimentos da Delegacia Regional. E os resultados seria mostrados rapidamente nas estatísticas, reportagens e outros índices verificadores da violência e produtividade na região. Poços de Caldas se transformou em ícone de produtividade, alcançando posição privilegiada nos rankings dos DPC de Lavras e posteriormente 18º DPC de Poços de Caldas. A posição dentro do estado de Minas Gerais também era de destaque.

 

          A  Revista Defense, de Poços de Caldas, registra parte da história da 1ª Delegacia Regional, com seus policiais, características e procedimentos. Na primeira página o então Chefe de Polícia Marco Antonio Monteiro e o Superintendente Geral Gustavo Botelho Neto.

 


PROJETO SER GENTE
  

          Como Delegado Regional e Chefe de Departamento, Faria sempre buscou atender a população de forma eficiente, solidária, participativa, buscando uma aproximação da população com a Polícia Civil e as possibilidades para atuar no social, dentro das limitações que a instituição impunha. Alguns exemplos podem ser destacados como o Projeto “Ser Gente”. Mutirão para fornecimento de Carteiras de Identidade às crianças da região sul de Poços de Caldas, sem nenhum ônus de taxas ou fotografia. Naquela oportunidade várias entidades se interessaram em participar do projeto da Polícia Civil de Poços de Caldas. Faria conseguiu também, a parceria dos irmãos Miguel, da rede hoteleira de Poços que emprestaram o veículo temático da Parque Walter World, usado para fazer propaganda do evento e passeios com as crianças que compareceram ao local escolhido na zona sul da cidade, por ser de população carente.

 
          O Projeto SER GENTE, previsto para atender cerca de 70 crianças, atingiu ao término do dia de campanha a confecção de mais de 300 carteiras de identidade sem ônus para crianças e adolescentes com até 17 anos, com comprovação de baixo custo no consumo de energia elétrica. Um dos pedidos do delegado Faria, junto à imprensa, foi no sentido de alguns vereadores que pretendiam ir ao evento, não fossem, em virtude do projeto da Polícia Civil ser exclusivamente social, sem nenhum cunho político e que não permitiria que fosse transformado em palanque para alguns. Realmente, nenhum dos políticos que queriam comparecer, não apareceram por lá. Posteriormente, o delegado Renato Sato interessou-se pelo projeto social e conseguiu levar o evento para atender os alunos da APAE da cidade de Botelhos, conforme reportagem abaixo.

           

          Faria conseguiu a vinda do Helicóptero da Polícia Civil para participações em operações policiais e festas populares, como a procissão de Nossa Senhora Aparecida. Era a busca de aproximar a Polícia Civil da população atendida sem sofismas ou pseudos argumentos que, ao longo de décadas, impõe um abismo intransponível entre a instituição e o cidadão, como meio de se manter forte e respeitada. A porta de seu gabinete estava sempre aberta como forma de diminuir a distancia e acabar com o paradigma de inacessibilidade para o recebimento de qualquer cidadão com suas aflições, denúncias ou reclamações. 


   

DESFILES

          Faria buscou junto ao município de Poços de Caldas a inclusão da Polícia Civil nos desfiles de 7 de setembro e aniversário da cidade, em novembro. Faria entendia ser inadmissível que apenas a instituição Polícia Civil não integrasse as entidades e órgãos presentes aos desfiles. Com sua intervenção, a Polícia Civil iniciou suas participações, conforme observamos no planejamento elaborado pelo delegado e fotos do evento.

 

DIVERSAS AÇÕES POLICIAIS NOS ANOS DE 2009 E 2010.  


          Abaixo elencamos algumas das ações operacionais e administrativas levadas a termo pelo delegado Faria em sua gestão. Outras informações, conteúdos e reportagens podem ser acessados na seção "Órgãos Operacionais/DRPC de Poços de Caldas", neste site.

        Um dos primeiros planejamentos realizado por Faria consistiu no início da preparação de todos os policiais operacionais para os embates e enfrentamentos, através de treinamentos de tiro tático ministrado por policiais do DEOESP, onde ele fora chefe antes da vinda para Poços de Caldas. Com o seu amigo e Superintendente Geral, Gustavo Botelho, conseguiu a liberação de um grande lote de munições diversas que possibilitaram a capacitação e manuseio de diversos tipos de armamentos pesados.

 

OPERAÇÃO BLOQUEIO

          No contexto de segurança, um dos alvos mais importantes a ser combatido refere-se ao tráfico de drogas e suas consequências no desdobramento de outros crimes. Neste sentido, um delegado se tornou ícone na repressão e número de flagrantes de bandidos ligados à mercancia de entorpecentes: Carlos Tommaso e sua operosa equipe, composta dos policiais Joel, Romualdo "Galo", Juventino, Elcio, Rubens e ainda, do delegado Hernani Peres, de Andradas. A Operação Bloqueio foi um referencial, onde os policiais mostraram profissionalismo, persistência e inteligencia para conseguir inúmeras prisões de criminosos ligados à facção PCC. A operação teve a participação de policiais de Belo Horizonte que apoiaram com toda a estrutura terrestre e aérea necessária para sua realização. Um dos criminosos mais procurados na região pela sua liderança no PCC regional, conhecido como "Ice", foi preso em uma praia do litoral paulista pela equipe de Poços de Caldas.


            Esta operação foi desenvolvida para apuração de diversas irregularidades e crimes, perpetrados por agentes públicos da direção do presídio de Poços de Caldas. Um trabalho minucioso, criterioso e com apoio da inteligencia policial conseguiu arrecadar provas para o indiciamento e afastamento dos envolvidos. O presidente do inquérito policial foi o delegado Carlos Tommaso que contou com o apoio de sua equipe e policiais da inteligencia. 


OPERAÇÃO CADEADO

           A operação Cadeado foi iniciada e concluída para apuração de crimes perpetrados pela diretoria do Presídio de Poços de Caldas. Apesar do vazamento de informações, possivelmente pela SUAPI de Belo Horizonte, que tomou conhecimento da mesma, os diretores foram indiciados e destituídos dos cargos que ocupavam na cadeia da cidade.


OPERAÇÃO SENTINELA

          A Operação "Sentinela" foi um trabalho integrado entre as regionais de Poços de Caldas, Pouso Alegre e Alfenas e consegui desbaratar uma atuante quadrilha de roubo de cargas, que tinha como domicílio, a cidade de Ibitiúra de Minas e Andradas. Uma das maiores operações realizadas na região para o combate à essa modalidade criminosa. 


O ROUBO À CASA DO PROMOTOR

          Quando assaltaram a casa de um promotor de Poços de Caldas, os criminosos não esperavam a resposta rápida e eficiente que as polícias dariam em menos de 48 horas. Policiais civis e militares iniciaram uma operação conjunta, irmanados pelo desejo de responder ao desafio lançado pelos marginais, quando da ação criminosa. Rapidamente os bandidos foram localizados e presos na ação policial desenvolvida. Dentro de sua metodologia de resposta eficaz, todos os crimes de repercussão e notoriedade eram reprimidos prioritariamente para que os marginais não tivessem tempo de pensar na impunidade e agir novamente.

 

COMBATE À PROSTITUIÇÃO, PIRATARIA E OUTROS CRIMES.

       

             Inúmeros seguimentos de criminalidade foram foco de ações de repressão por parte da Polícia Civil na Delegacia Regional. Registramos algumas que constam em nosso arquivo digital, para demonstração cabal da atuação policial. combate ao lenocínio, tráfico, apuração de homicídios, crimes contra o patrimônio, crime ambiental, cumprimento de mandados de prisões, pirataria, etc. Cabe, por questão de justiça e mérito, registrarmos aqui o reconhecimento ao trabalho policial de uma dupla que se destacou na repressão à pirataria e crimes contra o patrimônio: os investigadores Alberto e Samir. Juntos desenvolveram um trabalho exemplar e inovaram nas ações policiais, ao realizarem diversas diligencias com o apoio da Guarda Municipal, que supria com muita eficiência, a carência de policiais civis. A atuação desses policiais, coordenados pelo delegado Vinhas e Regional Faria foi elogiada pelas duplas "Zezé" de Camargo e Luciano, e "Chitãozinho e Chororó", nas festas de peão boiadeiro de Barretos e Jaguariúna, quando, ao microfone, registraram a Polícia Civil de Poços de Caldas, como a mais atuante no combate à pirataria de CDs.

         
          Paralelamente, Poços de Caldas passou a atuar rigorosamente na repressão ao tráfico de drogas através do diligente delegado Tommaso e sua equipe operacional: Joel, "Galo", Elcio, Juventino, Victor Gandra e outros policiais. Foram dezenas de flagrantes e prisões de grandes traficantes que ocorreram em Poços de Caldas e São Paulo. Posteriormente, com a saída desse delegado para Santa Rita de Caldas em razão de transferência "a pedido", Faria trouxe outro delegado com o mesmo perfil operacional para que a atuação e desempenho contra o tráfico e membros de facções criminosas não decaísse. Trouxe o delegado Hernani Peres de Andradas que assumiu a parte operacional que demonstrou todo o seu potencial e inteligência para aquelas atividades.

          
          Com o programa de metas estabelecido pelo governo estadual para aferição da produtividade e desempenho policial de todas as regiões no estado, a DRPC de Poços de Caldas e o 18º Departamento de Polícia conseguiram destaque em suas ações. Poços de Caldas em 2009 e 2010 conseguiu se colocar entre os primeiros lugares seguidamente na elaboração de Inquéritos Policiais e TCOs. Nos primeiros meses de 2011 a situação se manteve. Estes
 resultados positivos, as ações conjuntas, projetos e planejamentos operacionais, apesar da deficiente estrutura policial, Poços de Caldas conseguiu atingir as posições invejáveis de 4º lugar no país e 1º lugar em Minas Gerais, como a cidade, com mais de 100.000 (cem mil) habitantes, de menor índice de crimes violentos contra crianças e jovens. As pesquisa foram realizadas pelo Governo Federal, através do PRONASCI.

 

         

O 18º Departamento de Poços de Caldas

  

           Faria nunca foi policial de ficar quieto diante das dificuldades de criar e implantar seus projetos, que sempre objetivavam os interesses institucionais para melhoria da qualidade de vida da sociedade a que servia. Em todos os órgãos pelos quais passou, deixou essa marca personalíssima. Como delegado regional, apesar de pouco menos de um ano de atividade, vislumbrou a oportunidade única de buscar a criação de um Departamento para Poços de Caldas e conseguiu a implantação do 18º Departamento de Polícia Civil, desvinculando Poços de Caldas do Departamento de Polícia de Lavras. A cidade de Poços de Caldas, pelo seu desempenho operacional destacado através do INDG e a importância pelo seu IDH privilegiado no contexto do sul de Minas, não poderia sofrer o desprestígio de continuar como Delegacia Regional vincula a Departamento distante. Não existia nenhum projeto para a criação do 18º DPC, apenas do 17º, que seria em Pouso Alegre. Com a elaboração do projeto por Faria e Comandante do Batalhão PM, foi possível mudar o contexto do que era previsto para a integração na região. Com a importante intermediação política do deputado Mosconi, prefeito Paulo Silva e o relacionamento de Faria com a Chefia na capital, conseguiu-se o que até então, era improvável, a vinda de uma RISP para a cidade. Com a criação do 18º DPC e 18ª RPM, eles passaram a ter sob suas áreas de competência, as delegacias regionais de Poços de Caldas, Alfenas, São Sebastião do Paraíso, Passos e Guaxupé, com as respectivas frações policiais militares correspondentes, totalizando uma população de cerca de 1.100.000 pessoas.

 

A POSSE NO 18º DPC

          Em evento concorrido, com a participação de Chefes de Departamentos, Delegados Regionais, delegados, investigadores, peritos, escrivães médicos legista de toda a região, da SGPC, Deputado Mosconi, Juízes, representante do Ministério Público, Prefeito Municipal de Poços de Caldas, Comandante 29º BPM, do CBM e autoridades diversas, Faria tomou posse como Chefe do 18º Departamento.

         
           As atividades de responsabilidade do Chefe do 18º DPC consistia nos planejamentos administrativos de sua área geográfica, reuniões mensais em Belo Horizonte com os demais Chefes de Departamento e a direção da Polícia Civil sobre temas diversos e apresentação dos índices de desempenho das respectivas unidades. Dos assuntos tratados resultava em nova reunião com os delegados regionais para repasse das informações. Viagens pelas regionais, eventos e discussões dos problemas que afligiam os cidadãos nas questões de segurança pública e os encontros com os parceiros da Polícia militar para as discussões relacionadas à RISP/Região Integrada de Segurança Pública. Paralelamente, coordenava e acompanhava todas as operações que tinha participação da AIP/Agencia de Inteligência, criada pela COSEG, à época.

 

 

Abaixo, imagens do gabinete do 18º Departamento de Poços de Caldas, montado por Faria para atender suas responsabilidades administrativas e operacionais. Equipe de policiais junto com o Chefe do DPC.

 

           Apesar das funções de um Chefe de Departamento ser basicamente do planejamento administrativo e organizacional, Faria nunca ligou muito para essas regras pelo seu perfil polivalente e a vontade de estar sempre perto de seus policiais na coordenação de ações de maior complexidade e envolvimento dos perigos pertinentes à profissão. O sequestro de Andradas, cujas fotos são registradas abaixo é um exemplo dessa característica. Na época, diante do perfil burocrata do novo delegado regional de Poços de Caldas, Faria viajou para São Paulo, onde juntou-se às equipes operacionais que cuidavam do caso e passou a coordenar os trabalhos. Todos os detalhes podem ser pesquisados no endereço http://www.cyberpolicia.com.br/index.php/historia/decadas/485-trevisan Na Parte 10 da Biografia, registramos os fatos que envolveram a Recomendação nº 1, marco na história da Polícia Civil de Minas Gerais e nas carreiras dos delegados que assinaram o documento.


 

R1

          Na Parte 10 da Biografia, último artigo sobre o delegado Faria, registramos os fatos que marcaram e envolveram a divulgação da Recomendação nº 1, que previa simplesmente o cumprimento da legalidade, mas tumultuou segmentos do Ministério Público, do Judiciário, da PM, SEDS e a própria administração superior da Polícia Civil. Os Chefes de Departamento assumiram a responsabilidade pelo documento como meio de preservar sua chefia. Quando o documento ficou pronto, ocorreu um episódio inequívoco de solidariedade e comprometimento com a instituição, quando os delegados regionais colocaram como irrevogável, a decisão de assinar conjuntamente a R1. O documento teve seu nascedouro no sul de Minas, quando os dois Chefes de Departamentos de Poços de Caldas (Faria) e Pouso Alegre (Carlos Eduardo) tiveram a iniciativa de assumir a elaboração da R1, com a participação de elegados de diversas unidades policiais da região, incluindo do DPC de Lavras.

               

O ESTUPRADOR SERIAL KILLER

           Um dia antes de ser publicada sua aposentadoria, Faria, como profissional Gestor, mas que nunca perdera o sangue operacional, recebe um presente de despedida. A prisão de um serial killer que estuprava e matava mulheres na região sul. Um belo trabalho de investigação e inteligência policial, presidido pelo competente delegado Cleovaldo, da cidade de Machado, com sua equipe e policiais do 18º DPC. Um trabalho que era desenvolvido há algum tempo, coroou o final de carreira do delegado Faria, com a apuração dos crimes e prisão do criminoso.

 

RECONHECIMENTO COMO DELEGADO REGIONAL DE POÇOS DE CALDAS

           Faria assumiu o DPC de Poços de Caldas por um período de cerca de um ano, até ser publicada sua aposentadoria, mas mesmo no curto período em que permaneceu na administração da Polícia Civil de Poços de Caldas, certamente deixou um lastro de responsabilidade e credibilidade diante do muito realizado, no pouco tempo de gestão. Rapidamente a figura enigmática e sisuda do delegado Faria era assimilada pela população que percebia claramente que a Polícia Civil desempenhava seu mister com competência e resultados positivos. O reconhecimento surgiu de várias entidades, dentre elas, o Executivo Municipal, a Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Dentre os órgãos de imprensa, destacamos a TV Poços, o combativo Jornal Mantiqueira, que fizeram as homenagens abaixo, fato raro, vindo da imprensa.  Nos dois casos, o reconhecimento eivado de carinho dos dois importantes canais de mídia de Poços de Caldas.

          Outros reconhecimentos do profissional Faria, relativo ao exíguo tempo de permanência nos cargos de Delegado Regional e Chefe do Departamento de Poços de Caldas são também registrados abaixo por entidades da região de de Belo Horizonte, através de documentos e reportagens com encômios ao trabalho realizado.

 

"A Assembléia Legislativa de Minas Gerais congratula-se com o delegado Antonio Carlos Corrêa de Faria pela ações preventivas realizadas em Poços de Caldas, que ajudaram  a colocar o Município entre os dez com menor índice de violência contra jovens no País."

 

"... venho a presença de Vossa Excelência para manifestar nossos sinceros agradecimentos pelo trabalho realizado em Poços de Caldas... demonstrou dedicação ímpar às funções públicas, respeito à ordem e à legislação e, evidentemente, merecedor da confiança da população...". Waldemar Antonio Lemes Filho. Presidente da Câmara Municipal de Poços de Caldas.

 No mesmo período, o Delegado Faria foi homenageado pela Caixa Econômica Federal e Jornal Segurança de Belo Horizonte.

 
A ACIA(Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Poços de Caldas também manifestou seu reconhecimento através da missiva postada abaixo.

"Senhor. Delegado Regional

A ACIA vem através deste documento, solicitar de V. Exa, que transmita ao Senhor Governador e à Chefia de Polícia o nosso reconhecimento à união de esforços da Polícia Civil de Poços de Caldas, na repressão à violência e criminalidade da região. O resultado desse trabalho foi diagnosticado através de inúmeros seguimentos da mídia nacional, a partir do resultado de pesquisa divulgada pelo Ministro da Justiça, registrando Poços de Caldas em 4º lugar no país, no ranking de cidades em que as crianças e jovens são menos vulneráveis à violência urbana e 1º lugar no estado de Minas Gerais, juntamente com Juiz de Fora. A pesquisa comprova que a Polícia Civil, em parceria com outros órgãos do sistema de segurança e a administração municipal está no caminho certo e servem de exemplo para outras cidades que se vêem em situação lastimável dentro do contexto de segurança pública."

 

 

 Abaixo dois ofícios expedidos pela Câmara Municipal. O primeiro do vereador Paulo Eustáquio de Souza, com requerimento de VOTOS DE CONGRATULAÇÕES em 2010, o segundo do Presidente da Câmara Municipal.

 

          O ofício elogioso do Presidente da Câmara Municipal de Poços de Caldas foi corroborado pelo pedido de votos de congratulações solicitado pelos vereadores Ciça e Flávio, que enalteceram o trabalho realizado pela administração de Faria na região. E, diga-se de passagem, também reconhecido pela ASSEMBLEIA LEGISLATIVA/MG por duas vezes, Chefe do Executivo Municipal, PM e outras instituições. Os demais membros do legislativo municipal, vereadores Regina, Paulo Eustáquio, Joaquim, Joney, Pastor Valdir, Rogério, Urutu e Antonio Carlos rejeitaram a proposta dos votos de congratulações, possivelmente por não terem a mesma interpretação que seus pares e outras autoridades. Afinal estamos em uma democracia e o direito de expressão é livre e certamente outros policiais já fizeram, ou farão mais por Poços de Caldas, do que o delegado Faria, dentro de suas limitações, não conseguiu, conforme pensamento e análise desses vereadores. Estranhamente, um dos vereadores que indeferiu o pedido foi o mesmo que elaborou o primeiro ofício acima, solicitando as congratulações um ano antes.

 

APOSENTADORIA

 

           Em junho de 2011 Foi publicada a aposentadoria do delegado Antonio Carlos Correa de Faria, depois de seus 35 anos de atividades estritamente policiais. Por uma questão de carinho e deferência da Polícia Civil, através de seu Superintendente de Investigações e Polícia Judiciária, durante a posse do novo Chefe do 18º DPC, Bráulio Stivanin, Faria recebeu uma placa como última homenagem pelos serviços prestados à instituição policial. 

 

Palavras de despedida dirigidas por amigos em belas mensagens enviadas ao companheiro Faria, pela sua aposentadoria.

                                   


Caro e nobre amigo Dr. Faria,

Muito linda a sua mensagem de despedida. Despedida não..., mas um “até breve", visto que, se Deus quiser - e Ele há de querer - manteremos contato de alguma forma.
Quero aqui registrar que tive um imenso prazer de partilhar a minha vida profissional com você. Foram vários momentos que passamos juntos, senão vejamos: fizemos o Curso de Formação para Delegado de Polícia na mesma época, sendo nomeados em 12/04/1986. E ai cada um foi para um lado até que nos trombamos novamente quando você foi coordenar a Operação do Prata que eu havia iniciado e que resultou na prisão do Delegado Alexandre Luiz Pimenta. Passamos alguns sufocos naqueles dias, lembra-se?

Quando estava diretora da ACADEPOL e você na Coordenação Operacional da Superintendência Geral, esteja certo que me auxiliou sobremaneira com a sua seriedade e proficiência na coordenação das investigações sociais do aspirantado.

Por fim, quando assumimos as chefias de departamentos novamente tivemos a oportunidade de compartilhar ideais no mesmo ambiente escolar do Curso de Gestão da Segurança Pública e Planejamento Operacional.

Assim, meu amigo, VOCÊ FAZ PARTE DA MINHA VIDA OU DE UM LONGO PERÍODO DELA. Foi um prazer tê-lo do meu lado nas diversas lutas em que, ombro a ombro, brigamos pela POLÍCIA CIVIL.

Sua hora chegou hoje e a minha também se aproxima, provavelmente em 02 de fevereiro de 2012. Só que (para variar) você é e foi mais inteligente que eu porque vem se preparando para se afastar; já eu...

Por derradeiro quero lhe dizer - OBRIGADA FARIA - obrigada pelo companheirismo, pela amizade, cumplicidade e pela lição de coragem que você nos deixa.

O grupo dos Xiitas não será o mesmo sem você!

Agora que você já não tem mais compromisso com o relógio, venha visitar Uberaba. Estou esperando você...
Um forte abraço e que Deus o abençoe sempre.

Da sempre amiga

Maria de Lurdes Camilli

 

Boa noite, ao ler no semanário os dizeres de sua despedida alçando a aposentadoria, emocionou-me.

São poucos os que têm coragem de assumir que a família e nós mesmos merecemos "condições confortáveis e qualidade de vida".

A coragem das escolhas e, a certeza dos rumos a tomar e da hora de mudar de rumo ou parar.

Parabéns, eu já sabia que o senhor é uma pessoa de grande coração.

Muito sucesso e conte sempre comigo.

Grande abraço, felicidades.

Deus o abençoe.

Rosaine. Delegada de São Sebastião do Paraíso

 

Querido Faria,

Fico muito feliz de você ter conseguido alcançar um momento tão impar, pois acredito que "QUALQUER MOMENTO QUE ALGO SE INICIA É O MOMENTO CERTO", por isso tenho a certeza de que você, somado a sua experiência, bagagem, compromisso, retidão, garra e valores trilhará somente pelos bons caminhos colhendo seus próprios frutos.

Não conversamos muito, não encontramos muito, não trabalhamos juntos, mas nada disso foi preciso para saber que você é homem do bem e merece meus sinceros respeitos pelo grande policial que você é e sempre será.

Conte comigo para qualquer momento de sua vida em que poderei ser-lhe útil, jamais me eximirei em estender-lhe minha mão, pois 'BONS POLICIAIS NÃO SE FAZEM, NASCEM!"

E você é um deles.

Sucesso pela sua nova empreitada e que Deus continue a te iluminar e proteger.

Abraços,

Vânia Godói (Chefe do DPC de Contagem)

 

O ouro para ser purificado, tem que ser exposto ao fogo máximo. Uma vez purificado, é ouro. Se cair na lama, é ouro. Se cair na terra é ouro, independente de onde estiver, mesmo que esteja com alguma poeira por cima, ao ser limpo continua sendo ouro. Você é ouro. Continuará brilhando. Obrigada por tudo. Que Deus te abençoe diante dos novos desafios.

Eliete (Delegada Regional de Poços de Caldas).

 

Faria, que não seja uma despedida mas um recomeço.
Vc descreveu muito bem sua passagem brilhante pela
Policia Civil.
Manteremos contato pois vc representa uma liderança
em nossa classe, que não vi tão unida qto agora.
Segue em anexo uma msg pra reflexão.
Um abraço e boa sorte.

Ramon.

 

Muito bom, bem escrito e recheado de sentimentos.

Que seja muito muito feliz em sua nova atividade e junto com os familiares. Agradeço pelo convívio e amizade durante longos vintes anos, o amigo, ensinou-me muito, e muito aprendi com Antonio Carlos de Faria, o qual passou a chamar depois, Antonio Carlos Correa de Faria.

Felicidades e tudo de bom para vc e seus familiares.

Edson Moreira - Chefe do DHPP/MG

 

Mestre Faria (Guerreiro como poucos!!)

Seja Feliz meu amigo, muito feliz nesta nova etapa da sua vida!!!

Deus o abençoe hoje e sempre!!!

José Walter da Mota Matos (Delegado Regional de Itajubá)

 

Dr. Pimenta, meu caro amigo, obrigada por ter compartilhado a mensagem de despedida do Exmo. Dr. Faria.

Dr. Faria, sua nota muito me emociona. O senhor resumiu o nosso mister. Felicidades no merecido descanso.

Abraços,

Ravênia Oliveira Leite (Delegada)

 

Caros Jurispolitanos,

Tive a honra de trabalhar com o Dr. Faria, quando fui designado para trabalhar no Departamento de Investigações. De fato, a Polícia Civil perderá muito com a aposentadoria do mestre.

Sucesso na nova etapa.

Um grande abraço.

Bruno Tasca. Delegado DEPATRI

 

Lavras/MG, 02 de junho de 2011

Amigo Faria,

Ao ler esta mensagem deixada por você, confesso que senti, no primeiro momento, um conflito de emoções. Veio inicialmente o sentimento de tristeza, melancolia, angústia, de saber que eu, outros companheiros e a PCMG está perdendo um Grande Guerreiro, um dos últimos moicanos o qual dedica, dedicou com afinco longos anos de sua vida a melhora de serviços da Instituição, que tanto amamos, para com a sociedade. O idealizador, o bravo, o valente, agora sede lugar a outro. É ciclo natural da vida.

Mas Deus com a enorme sabedoria parece que ao entrar em minha alma, me trouxe posteriormente o sentimento de conforto, da luz e me faz entender que a hora somos nós que fazemos e a sua aposentadoria teria que acontecer, pois como grande pessoa que és, de caráter, personalidade, deixa o belo legado de acreditar e lutar por aquilo em que acreditamos.

Faria, a saudade é a lembrança do bom, do bem, das coisas boas, é ela que invade diversos corações, principalmente dos muitos amigos que aqui deixas agora. Não nos abandone, foi um imenso prazer tê-lo conhecido, convivido e trabalhado, ombreado contigo. Saia com a cabeça da mesma forma que entrou, sempre erguida, com o saber do dever cumprido.

Conte sempre comigo e com seus companheiros, pois a porta de onde estivermos, sempre estará aberta a você.

Sucesso com abraço do amigo.

Sadi. Chefe Departamento de Lavras.

 

É isso chefe... Nem vou ficar repetindo o quão importante o senhor foi e é para a Polícia Civil e para nós de São Sebastião do Paraíso. Saiba que aqui o senhor nunca teve subordinados, mas amigos e admiradores.

Abaixo, a letra de bela música de Carlos Lyra que bem ilustra este seu momento.

Um grande abraço, tenha paz finalmente e bom descanso guerreiro!

O Descanso do Guerreiro - Carlos Lyra

Um caminho de coqueiro

Que da num ranchinho

Do interior

Um pomar e um canteiro

Donde vem um cheiro

Bom de fruta e flor

E sendo passarinheiro

Ouvir sem cativeiro

O pássaro cantor

E almoçar feijão tropeiro

Feito por mineiro

Que é de bom sabor

É o descanso do guerreiro

Que merece ter todo trabalhador

À sombra do abacateiro

A prosa com o caseiro

Que é conversador

A cigarra no terreiro

O galo no poleiro

A noite já chegou

E quando à luz do candeeiro

Com meu filho herdeiro

Dorme o meu amor

Meu violão seresteiro

Pelo mundo inteiro

Roga do Senhor

O descanso do guerreiro

Que merece ter todo o trabalhador

Rodney e amigos da 4ª DRPC... Delegado Regional de São Sebastião do Paraíso

 

Dr. Faria,

Nesta nova empreitada na vida, desejo-lhe sucesso, felicidades e muita saúde para trilhar os novos caminhos.

Uma batalha foi vencida. Mas a guerra ainda continua. Há que se reforçar o fôlego para conquistar outros espaços, fortificar os laços familiares e conhecer novas paragens.

"Apenas é igual a outro quem prova sê-lo, e apenas é digno da liberdade quem a sabe conquistar". Tenho certeza que o senhor soube conquistar seu espaço com galhardia, muita luta, amor à causa e, principalmente, amor à Polícia Civil de Minas Gerais.

Abraços e conte sempre com este fiel escudeiro.

Marcus Piedade(Delegado de Cássia)

 

Amigos Jurispolitanos,

Sem mesmo ter pleiteado permissão do Dr. Faria (Chefe do 18º DEPTO), encaminho mensagem de despedida do aludido colega.

Em singelas palavras, o mestre soube expressar a importância do Policial Civil e a sua gratidão pelos companheiros.

Mestre Faria, repetindo o que eu lhe disse: quero que saiba que a Polícia Civil vai perder muito com sua ausência. No entanto, seu espírito de luta continuará vivo em nossos corações.

Força e Honra!

Pimenta (Delegado de Guaxupé)

 

Ao Dr. Faria,

Sucesso nesta nova etapa de vida profissional: ao menos, o pijama da Polícia Civil. Com certeza, aposentar-se no auge da carreira profissional é uma grande vitoria.

Tive o imenso de prazer de trabalharmos juntos, na velha e boa DCCP (outra grande escola de polícia).

Um grande abraço ao mestre.

Osvaldo Wiermann Junior - Delegado Regional de Sete Lagoas

 

Dr. Faria,

Estou certa de que hoje, com a efetiva publicação do ato, todos nós temos o direito de nos sentir um pouco 'ÓRFÃOS' com a saída do senhor... Na reunião em Passos as vozes foram unânimes em afirmar e reafirmar a perda que a aposentadoria do senhor representa para nossa querida Polícia Civil, e entre os muitos elogios que ouvi a seu respeito hoje, um em especial me marcou, traduzindo em apertada síntese o que sentimos: "Dr. Faria é um ícone da PC". Espero, desse modo, que nós - que aos poucos renovamos os quadros da PC - possamos contribuir ao menos um milésimo do que o senhor contribuiu (e, estou certa, continuará contribuindo) para o crescimento da nossa amada instituição...

Dr. Faria, aproveite muito essa nova e merecida fase, e antes de qualquer coisa, saiba que, precisando, CONTE SEMPRE CONOSCO! Sentiremos sua falta não só por ser um homem de visão e excepcional profissional, mas também por ter se revelado, nesses poucos anos de convívio, um grande ser humano. Muito obrigada, de coração, pelos ensinamentos. Saiba que é muito querido por todos e que, verdadeiramente, sentiremos sua falta...

Grande abraço.

Maria Cecília. Delegada de Poços de Caldas

 

Boa Noite Dr. Faria

Hoje fiquei sabendo de sua "oficial" aposentadoria, me despeço e agradeço por este período que trabalhamos juntos.

Qualquer coisa, estou por aqui

Boa leitura,

Ezio Henrique Ribeiro - inspetor de Policia - Passos/MG

 

Dr. Faria,

Foi uma honra tê-lo como Chefe. Um grande abraço e boa sorte na nova "empreitada".

Conte comigo.

Sérgio Elias Dias. Delegado Regional de Patrocínio.

 

Pô chefe!

Pensei que esse dia nunca fosse chegar! Não acredito que acabei de ler sua despedida!!! Estou emocionado e sem condições de escrever...

Depois falamos!

Abs

João Octacílio. Delegado Regional de Ponte Nova.

 

Parabéns Dr. Faria!
O grande dia chegou... Tenho apenas 4 anos de Polícia Civil e quando entrei não imaginava para quem iria trabalhar... para o Delegado chato? ... para o Governador?... Para o Juiz?... ou para Sociedade?... mas descobri que não...
Muitas das pessoas para quem trabalhamos estão aquém de serem considerados integrantes de nossa sociedade... pessoas tão simples ou tão “cruas" como seres humanos, mas nem por isso perderam a esperança ao buscarem ajuda através de nós...
Não imaginava quando entrei para a Polícia o significado de Servidor... Obrigado! Pois foi através do Sr., do Dr. Cláudio e de alguns amigos da polícia que realmente entendi o significado... Já dizia (Ben Johnson)

“Quando estou interessado apenas em meu ganho pessoal sou um mercenário. Quando estou interessado em servir os outros, sou um profissional.”

Por isso lhe dou os parabéns pela aposentadoria, que não vejo o fim e sim o início de colher tudo aquilo que o Sr. plantou em todos esses anos de serviços. O Sr. é um exemplo para mim de profissional, persistência e inteligência... Por tanto hoje me despeço do Grande Delegado e amanhã vou te cumprimentar como um grande amigo...
Até breve...

Anderson Bretas – Médico Legista de Poços de Caldas.

 

Faria,

Seja Bem vindo ao Clube dos Ferros Velhos. rsrsrsrsrrs

Pois é, vi que publicaram teu ato, que bom, sair dessa loucura que fizeram com nossa Polícia. É bom. Dou graças a Deus.

Ok meu amigo, e conte sempre comigo e com minha amizade fraternal.

Abraços

Nelson Fialho. Delegado Aposentado.

Faria que DEUS te acompanhe, admirável companheiro.

Mesquita. Chefe Departamento de Montes Claro.

 

Prezado Dr. Faria,

É com grande alegria que tomei conhecimento de que agora o Sr. irá curtir mais a família, tendo o seu merecido descanso depois de tantos anos de sacerdócio na PC (um dos maiores nomes da Polícia Civil mineira). Por outro lado lamento a perda de um grande chefe, homem distinto, destemido, sábio, justo e com quem aprendi muito. Permita-me chamá-lo de “grande mestre”.

Obrigado Chefe. Eu lhe devo muito e espero não perder o contato contigo. Mas agora é hora de aproveitar o maior milagre que Deus nos deu: a Vida.

Que Ele possa lhe abençoar infinitamente.

Armando. Delegado de Poços de Caldas.

 

Sei que já se passaram sete dias de sua mensagem de despedida. Li atentamente as mensagens de carinho com que os demais Chefes de Departamento lhe enviaram. Como os demais companheiros, também compartilhei, mesmo que por um curto tempo na CEPOLC, seu braço de liderança. Confesso que se hoje estou Chefe de Departamento muito aprendi com V. Exa.

A douta autoridade bem sabe que gostaria de vê-lo no lugar mais alto de nossa Instituição, contudo, Deus sabe o que faz e se Ele lhe proporcionou neste instante gozar sua merecida aposentadoria, vá em paz! Você realmente fez amizades em nossa Instituição.

Encerro este texto com muita emoção e sempre atendendo suas determinações. Estou olhando suas cidades aqui no Vale do Aço. Apareça!

Abraços...

Valmir de Paula Ramos - Chefe Departamento de Governador Valadares

 

Prezado Dr. Faria!

Gostei de saber que o senhor estava andando longe! Bem merecido!

Falando em honra, sinto-me profundamente honrada por todas as ocasiões em que trabalhei com o senhor; Honra-me sobremaneira todas as citações do meu nome no cyberpolícia!

Ficou marcada em nossa história a forma com que o senhor tratava as policiais: sem bajulações e sem desacreditar na nossa capacidade! Sob o comando do senhor, enfrentamos grandes desafios, em condições de igualdade, ao lado dos mais destemidos e valentes colegas.

Muito obrigada, Dr. Faria!

Um saudoso abraço,

Ofélia. Inspetora Adjunta de Escrivães – aposentada.

 

Dr. Faria, tive a honra de ter trabalhado com V.Exa e apesar do pouco tempo foi salutar e enriquecedor, desejo ao senhor o desfrute do que de melhor a vida lhe proporcionar, pois és merecedor, perde a polícia, pela importância do profissional que abandona as fileiras, ganha a Sociedade um cidadão exemplar e a família que não terá que dividir o chefe de família com o fiel servidor Público. Até breve guerreiro e chefe, sentiremos sua falta. Abçs.

Carlos- Delegado Regional - DRPC-Passos.

 

Outras informações no endereço http://www.cyberpolicia.com.br/index.php/orgaos-operacionais/178-delegacia-regional-pocos-de-caldas

EM CONSTRUÇÃO. FALTA REVISÃO, CONTEÚDO, FOTOS, NOMES DE POLICIAIS E MATÉRIAS.

2011 Biografia Faria 9 - Poços de Caldas-Aposentadoria. © 2012 - Cyberpolicia: História da Polícia Operacional Investigativa
Powered by Joomla 1.7 Templates, read web hosting reviews